FATORES ASSOCIADOS A QUEDAS EM IDOSOS DA UNIVERSIDADE DA MATURIDADE

  • Wana Borges Lima Universidade Federal do Tocantins, Palmas (TO)
Palavras-chave: Idoso, Fatores de risco, Acidentes por quedas, Prevalência

Resumo

Objetivo: analisar os fatores associados a quedas em idosos e suas consequências. Método: estudo transversal realizado com 27 idosos matriculados na Universidade da Maturidade do Tocantins, no município de Palmas (TO), em 2018. A queda foi avaliada quanto a local, horário da ocorrência, consequências físicas e psicológicas. Utilizou-se o Teste de Fisher para identificar eventual associação entre queda e fatores biológicos, socioeconômicos, comportamentais e ambientais. Resultados: a prevalência de quedas entre os idosos foi de 48,2% e associou-se a doenças cardiovasculares e dificuldade para atravessar a rua. As mulheres caíram mais no ambiente intradomiciliar (70,0%), e os homens, no extradomicílio (66,7%). As principais consequências advindas das quedas foram medo de cair (83,3%) e contusão/ferida (45,5%). Conclusão: os dados revelaram alta prevalência de quedas em idosos e associação com fatores biológicos e ambientais, o que evidencia a necessidade de medidas preventivas para a ocorrência desse evento e seus agravos.

Publicado
2018-10-07