MICRORGANISMOS ISOLADOS DE PONTAS DE CATETERES VENOSOS CENTRAL E PERFIL DE SUSCETIBILIDADE ANTIMICROBIANA

  • Otavio Pires Silvestre Centro Universitário Cesumar – UNICESUMAR
  • Marcel Pereira Rangel Centro Universitário Cesumar – UNICESUMAR
  • Sara Macente Boni Centro Universitário Cesumar – UNICESUMAR
Palavras-chave: Infecção hospitalar, Infeccões relacionadas a catéter, Resistência bacteriana a drogas, MRSA

Resumo

Objetivo: Identificar a prevalência e perfil de susceptibilidade antimicrobiana das espécies bacterianas mais isoladas nas pontas de cateteres venosos centrais de pacientes atendidos em um hospital de médio porte do noroeste do Paraná. Método: Estudo retrospectivo, realizado no período de junho de 2015 a junho de 2016, mediante aprovação do Comitê de Ética. Foram avaliados 100 laudos de culturas e antibiogramas de pontas de cateteres venoso central. Resultados: Oitenta e seis amostras das amostras apresentaram-se positivas, houve maior prevalência de Acinetobacter baumannii (24,4%), Staphylococcus aureus (24,4%), Pseudomonas aeruginosa (23,2%) e Staphylococcus coagulase negativa (17,4%). As cepas de Acinetobacter baumannii apresentaram alta sensibilidade a Tetraciclina, Ampicilina Subactam e Gentamicina. Encontrou-se elevada prevalência das cepas S. aureus resistentes a Meticilina/Oxacilina (MRSA) e Staphylococcus coagulase negativa resistentes a Meticilina/Oxacilina (MRSCN). Conclusão: O uso de cateter venoso central é um recurso terapêutico importante na assistência a pacientes internados em UTI, porém foi demonstrado prevalência elevada de microrganismos (86%) e microrganismos resistentes aos antimicrobianos, podendo favorecer a ocorrência de infecção relacionada à assistência em saúde nestes pacientes. 

Publicado
2018-10-07