A PSICOLOGIA DE KANT

dos textos pré-críticos até primeira edição da Crítica da razão pura.

  • André Renato de Oliveira Ufscar (pós-doutorando)
Palavras-chave: Kant, psicologia, Crítica

Resumo

O objetivo deste trabalho é contextuar a presença da psicologia em Kant, desde os textos denominados como pré-críticos até a primeira edição da Crítica da razão pura. Para tal, começaremos por analisar a presença da psicologia nos textos de 1.747 a 1.770. Num primeiro momento mostraremos que a psicologia está atrelada a relação alma e corpo e, é entendida como a ciência empírica do homem, porém sob uma perspectiva psicofísica. Posteriormente, nos anos 1.770 constata-se uma mudança da acepção kantiana a respeito da psicologia; Kant transportará a presença da psicologia da relação: alma e corpo para a ligação entre sensível e inteligível, o que demonstraremos não significa necessariamente um rompimento com a psicologia. Por fim, já em meados de 1778- 1781, advogamos que a psicologia aparecerá com folego renovado, agora sobre a influência de J.N.Tetens e terá uma nova finalidade, em especial na elaboração da dedução transcendental das categorias denominada por Kant como subjetiva. Reafirmo que o objetivo deste trabalho não é o de esgotar o tema psicologia em Kant, nem realizar um trabalho exegético em todos os textos kantianos onde há alguma menção sobre psicologia, mas sim em autenticar sua presença desde os primeiros escritos kantianos, sua continuidade e as nuances advindas desta até os anos de 1781.

Referências

FABRIZI,C. Mente e corpo in Kant, Roma, Aracne, 2008.
CASSIRER, E. Kant, vida y doctrina. Trad. Wenceslau, R. Mexico, Fondo de cultura econômica, 1993.
KANT, I. Leçons de métaphysique Kant, trad. Monique Castillo, Lgf. Paris, 1992.
KANT, I. Anuncio do programa de lições para o semestre de inverno de 1765-1766 Trad. Morujão, C., Pereira, A. e Dias, M. Lisboa, ed.70, 2006.
KANT, I. Dissertação de 1770 Carta a Marcus Herz. Trad. Leonel R. e António M. Lisboa, Imprensa Casa da Moeda, 2004.
KANT, I. Écrits sur le corps et l’esprit. Trad. Grégoire C. Paris, Flammarion, 2007.
KANT, I. Escritos pré-críticos. Trad. Jair Barbosa, Joãozinho B., Luciano C., Paulo Licht, Vinicius V. São Paulo, Unesp, 2005.
KANT, I. Investigação sobre a clareza dos princípios da Teologia natural e da moral. Trad. Carlos M., Américo P. e Monica D. Lisboa, Imprensa Casa da Moeda, 2006.
KANT, I. O único argumento possível para uma demonstração da existência de Deus. Trad. Carlos Morujão, Inês B. Inês R. e Joana Q. Lisboa, Imprensa Casa da Moeda , 2004.
KANT, I.Dissertaciones Latinas de Kant. Trad. J.D. Garcia, Venezuela, Ed 39, 1974.
KANT, Immanuel. Gesammelte Schriften Hrsg.: Bd. 1-22 Preussische Akademie der Wissenschaften, Bd. 23 Deutsche Akademie der Wissenschaften zu Berlin, ab Bd. 24 Akademie der Wissenschaften zu Göttingen. Berlin 1900ff.
OLIVEIRA, A,R. A influência de Johann Nicolaus Tetens na dedução transcendental das categorias de Kant (TESE), Unicamp, 2019.
ORLANDO, B, L. O silencio de Kant: esboço da analítica transcendental na década de 1770. Kant-e-prints 2010 pp.14-35.
PHILONENKO,A. L’oeuvre de Kant (I e II Vol), Paris, J.vrin , 1996.
PUECH, M. Kant et la causalité. Paris, Vrin, 1990.
SAULO, A. O Manifesto dos filósofos alemães contra a psicologia experimental: introdução, tradução e comentários, Estudos e Pesquisas em Psicologia, v.13(2013) pp.298-311.
SAULO, A. Psicologia empírica e antropologia no pensamento inicial de Kant, Kant e-Prints. Campinas, Série 2, v. 9, n. 2, p.27-57 jul.-dez., 2014.
SAULO, F, A Psicologia empírica e antropologia no pensamento crítico de Kant: a década de 1780, Estudos kantianos, v.3 nº2(2015) pp.141-162.
TETENS, J, N. Philosophische Versuche über die menschliche Natur und ihre Entwickelung. Bd. 1/2. Leipzig, 1777 (edição consultada Berlin Verlag 1913).
THEIS, R. Le Silence de Kant. Etude sur l'évolution de la pensée kantienne entre 1770 et 1781. In: Revue de métaphysique et morale, 1982. pp. 209-239.
VLEESCHAUWER, H, J, de. La Déduction transcendentale dans l’ouvre de Kant 3vol. Paris, Champion, 1976.
WOLFF, C. Philosophia Prima Sive Ontologia, Methodo Scientifica Pertractata, Qua Omnis Cognitionis Humanae Principia Continentur. EUA, Kessinger, 2009.
WOLFF, C. Psychologia Empirica Methodo Scientifica Pertractata. EUA, Kessinger, 2010.
Publicado
2021-07-16
Seção
Artigos