OS IMPACTOS DA QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NA EDUCAÇÃO

Contribuições de Byung-Chul Han

Palavras-chave: Tecnologia; Revolução Industrial; Educação; Byung-Chul Han.

Resumo

É evidente que a tecnologia assumiu na contemporaneidade um poder autônomo que influencia de maneira decisiva a existência humana. A cada momento ficamos mais familiarizados com novas tecnologias como: robótica, inteligência artificial, big data, biotecnologia, internet das coisas, impressão 3D, nanotecnologia, etc., tudo isso, faz parte daquilo que chamamos de quarta revolução industrial. O objetivo desse artigo é analisar, a partir de um ponto de vista filosófico, as influências desta revolução na sociedade, principalmente em relação à educação. Por isso, primeiramente analisaremos o contexto histórico desta nova revolução industrial; posteriormente analisaremos sob a ótica de Byung-Chul Han os impactos produzidos na sociedade tecnológica diante da exposição que esta quarta revolução industrial provoca. Ou seja, abordaremos que em uma sociedade transparente e aberta, precisamos da educação como elemento de reflexão e guia para nossas ações.

Biografia do Autor

Leonardo Nunes Camargo, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doutorando em Filosofia pela PUC/PR – Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Mestre em Filosofia pela PUC/PR. Especialista em Ética pela PUC/PR. Graduado em Filosofia pela FAVI – Faculdade Vicentina. Bolsista CAPES. E-mail: leonardonncamargo@gmail.com

Lara Emanuele da Luz, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doutoranda em Filosofia pela PUC/PR – Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Mestre em Filosofia pela UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada em Filosofia pela Faculdade São Luiz. Docente no IFC Campus Blumenau – Instituto Federal Catarinense. Contato: lara.emanuele13@gmail.com

Referências

CAMARGO, Leonardo Nunes. Ética global: perspectivas e desafios. Curitiba, 2019.

ESPOSITO, Roberto. Bios: Biopolítica e filosofia. Trad. Freitas da Costa. Lisboa: Edições 70, 2010.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: A vontade de saber. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

______. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 6 ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

HAN, Byung-Chul. Sociedade da Transparência. Trad. Enio Paulo Giachini. Petrópolis: Rio de Janeiro, Editora Vozes, 2018a.

______. Psicopolítica: o neoliberalismo e as novas técnicas de poder. Trad. Maurício Liesen. Belo Horizonte: Editora Âyiné, 2018b.

JONAS, Hans. Ensaios Filosóficos: da crença antiga ao homem tecnológico. Tradução de Wendell Evangelista Soares Lopes. São Paulo: Paulus, 2017.

______. O princípio responsabilidade: ensaio de uma ética para a civilização tecnológica. Trad. Marijane Lisboa, Luiz Barros Montez. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUCRio, 2006.

______. Técnica, Medicina e Ética: sobre a prática do princípio responsabilidade. Trad. Grupo de trabalho Hans Jonas da ANPOF. São Paulo: Paulus, 2013.

LUC, Ferry. A revolução transumanista. Barueri: Manole, 2018.

SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial. Tradução de Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro, 2016.
Publicado
2021-07-16
Seção
Artigos