UMA EXPERIÊNCIA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA CRÍTICA COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO A PARTIR DA TABELA NUTRICIONAL DE ALIMENTOS

  • Lauro Chagas e Sá
  • Elcio Pasolini Milli
  • Ícaro Chiabai

Resumo

O artigo aborda a validação de um material educativo sobre Educação Estatística a partir de tabelas nutricionais de alimentos e avalia sua contribuição para a reflexão sobre hábitos alimentares à luz da Educação Matemática Crítica. Os pressupostos teóricos e metodológicos fundamentam-se na referência à realidade no âmbito dos cenários para investigação de Ole Skovsmose. A validação do material foi realizada com estudantes do Ensino Médio Integrado de uma instituição federal em fevereiro de 2019. A partir dessa experiência, o texto explora as potencialidades do material educativo, apontando reflexões sobre o senso crítico referente à Educação Matemática, à Educação Nutricional e à Educação Estatística. Para além das aprendizagens relativas a conteúdos de Estatística e a informações nutricionais, concluímos que a atividade propiciou um olhar mais crítico em relação aos hábitos alimentares dos estudantes, incentivando-os a pensar sobre alimentação saudável.

Referências

ARAÚJO, J. L. et al. Efemeridade dos cenários para investigação em um episódio de sala de aula de Matemática com tecnologias. Zetetiké, Campinas, v. 16, n. 29, jan./jun., 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: saúde. Brasília: MEC/DEB/SEF, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/saude.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Rotulagem Nutricional Obrigatória: manual de orientação às indústrias de alimentos. Brasília: MS/Anvisa, 2005. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/389979/Rotulagem+Nutricional+Obrigat%C3%B3ria+Manual+de+Orienta%C3%A7%C3%A3o+%C3%A0s+Ind%C3%BAstrias+de+Alimentos/ae72b30a-07af-42e2-8b76-10ff96b64ca4. Acesso em: 21 set. 2018.

CASTRO, J. B. DE; CASTRO FILHO, J. A. C. de. Desenvolvimento do pensamento estatístico com suporte computacional. Educação Matemática em Pesquisa, São Paulo, v. 17, n. 5, 2015. pp. 870-896. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/24999. Acesso em: 2 jul. 2019.

CAZORLA, I. et al. Estatística para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Brasília: SBEM, 2017. Disponível em: http://www.sbem.com.br/files/ebook_sbem.pdf. Acesso em: 3 jul. 2019.

CHIABAI, I.; SÁ, L. C. e. Um material educativo para abordagem de Tratamento da Informação a partir da tabela nutricional de alimentos. Educação Matemática em Revista, Brasília, v. 24, p. 188-199, 2019. Disponível em: http://sbem.iuri0094.hospedagemdesites.ws/revista/index.php/emr/article/view/1964. Acesso em: 9 abr. 2020.

CONCEIÇÃO, R. D. da; et al. Tratamento da Informação no nono ano do Ensino Fundamental: uma experiência a partir da tabela nutricional do biscoito cream cracker. Revemat - Revista Eletrônica de Educação Matemática, Florianópolis, v. 14, p. 1-17, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/1981-1322.2019.e62872. Acesso em: 10 nov. 2019.

FREITAS, R. C. de O.; JORDANE, A. Material Didático de Matemática para o
Proeja: Uma Construção Colaborativa. In: I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia. Anais do I SINECT. Ponta Grossa – PR, 2009. Disponível em: http://forumeja.org.br/files/Material%20proeja.pdf. Acesso em: 30 abr. 2019.

LOPES, C. E. O Ensino da Estatística e da Probabilidade na Educação Básica e a Formação dos Professores. Caderno Cedes, Campinas, v. 28, n. 74, janeiro/abril, 2008. p. 57-73. Disponível em: http://ref.scielo.org/ycwhn5. Acesso em: 2 jul. 2019.

MAIA, E. G. et al. Padrões alimentares, características sociodemográficas e comportamentais entre adolescentes brasileiros. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 21, 2018, p. 1-13. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-549720180009.supl.1. Acesso em: 5 ago. 2019.

NEPA – Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação. Universidade Estadual de Campinas. TACO – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. 4. ed. ver. e amp. Campinas-SP: Unicamp, 2011. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf. Acesso em: 1º jul. 2019.

SILVA, J. G.; TEIXEIRA, M. L. O.; FERREIRA, M. A. Alimentação na adolescência e as relações com a saúde do Adolescente. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 23, n. 4, 2014. p. 1905-1103.

SKOVSMOSE, O. Desafios da Educação Matemática Crítica. São Paulo: Papirus, 2008.

SKOVSMOSE, O. Educação Crítica: Incerteza, Matemática, Responsabilidade. São Paulo: Cortez, 2007.

SKOVSMOSE, O. Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. São Paulo: Papirus, 2001.

SKOVSMOSE, O. Cenários para Investigação. Trad. Jonei Cerqueira Barbosa. Bolema, Rio Claro, v. 13, n. 14, 2000, p. 66-91.
Publicado
2021-09-30
Como Citar
Sá, L. C. e, Milli, E. P., & Chiabai, Ícaro. (2021). UMA EXPERIÊNCIA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA CRÍTICA COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO A PARTIR DA TABELA NUTRICIONAL DE ALIMENTOS. Revista Paranaense De Educação Matemática, 10(22), 516-530. Recuperado de http://revista.unespar.edu.br/index.php/rpem/article/view/1163
Seção
Relatos de Experiência