A questão de gênero no plano municipal de educação de curitiba: da construção social à supressão político-legislativa (2014/2015)

  • Juliano Eugenio da Silva Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
  • Paulo Eduardo Dias de Mello Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Resumo

Este artigo busca entender como, na trajetória de construção social do Plano Municipal de Educação de Curitiba (PME), e depois nos debates legislativos, a questão de gênero foi tratada. Interessa-nos entender como setores religiosos inseridos na vida pública passaram a lidar com temas de interesse coletivo, especialmente, no campo da educação. Elegemos focar o assunto que mais interessou a prática política evangélica e conservadora religiosa no Brasil no início do século XXI: as questões de comportamento moral, em especial as ligadas a gênero e seus impactos na formulação de diretrizes para a educação. O objetivo é entender a maneira como a religião pautou o debate público sobre educação, tendo como foco as questões de gênero. Para tanto, o estudo verificou as fontes escritas acerca do debate ocorrido em Curitiba acerca do PME: desde as discussões da sociedade civil organizada até o debate ocorrida da Câmara Municipal. Constatamos o interesse quase que exclusivo dos setores religiosos quanto aos termos gênero, identidade sexual, identidade de gênero e etc. e sua busca por extirpar tais termos do PME.

Publicado
2020-06-05
Seção
Dossiê Gênero